Aderi, no mês do Meio Ambiente, à campanha da “Segunda Sem Carne”. Com esse pequeno gesto, resolvi reduzir minha pegada ambiental e dar mais um passo na caminhada em direção a atitudes mais sustentáveis e saudáveis.

Creio que não há nada mais vital, do ponto de vista da subsistência e saúde humanas, do que a nossa alimentação. Aquela máxima “você é aquilo que você come” tem sido ressignificada. O movimento Slow Food, surgido como um contraponto à cultura Fast Food, defende que sejamos não só consumidores de alimentos, mas co-produtores que conjuguem o prazer e a alimentação com consciência política, participação e responsabilidade.

Segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), a pecuária está entre os três mais significativos setores que causam impacto ambiental, desde a escala global até a local, sendo o setor responsável por  14,5% das emissões globais de gás de efeito estufa na atmosfera. Reduzir essas emissões é vital para evitar que as mudanças climáticas, algo que já afeta nosso planeta e as nossas vidas, se tornem ainda mais catastróficas.

Não podemos nos esquecer também dos animais, com os quais compartilhamos este habitat Terra, e de que estaremos, com gestos assim, contribuindo para maior respeito a eles e prevenindo crueldades praticadas em processos de captura, criação e abate.

As mudanças que sonhamos precisam começar por nós, não é mesmo?

Anúncios