getty images

Comemora-se hoje o Dia Internacional da Mulher em todo o mundo.

No século passado, a data teve um simbolismo muito importante, em função do movimento por direitos mais igualitários das mulheres na sociedade. Há apenas 80 anos, por exemplo, passamos a ter o direito ao voto nas eleições nacionais no Brasil. Dá para imaginar?!

Nas últimas décadas, felizmente, fizemos sucessivos “upgrades” em função da conquista de espaços sociais, culturais, econômicos e políticos. Mas é certo que ainda há muito por fazer e alcançar.

A colocação do Brasil na 67ª. posição em um ranking de 134 países analisados a partir de indicadores internacionais, como o Global Gender Gap Index (GGI), do Fórum Econômico Mundial, sinaliza que ainda persistem desigualdades entre os sexos na sociedade brasileira, em especial as salariais e a baixa participação feminina na vida política. Apesar disso, esta é uma pauta que vem avançando, impulsionada pela elevação continuada dos níveis educacionais da população feminina no país.

Outra pauta não menos importante – e ainda pouco incorporada aos movimentos para maior empoderamento feminino – diz respeito à contribuição da mulher para a adaptação e mitigação dos efeitos das mudanças climáticas e para o desenvolvimento sustentável. É preciso enfatizar que essa pauta interessa não só às mulheres, mas a toda a sociedade. No momento em que líderes de todas as partes do mundo se preparam para as discussões da  RIO+20,  em junho de 2012, me parece que um grande desafio será incorporar este tema aos debates.

Precisamos ter maior representação feminina nos processos decisórios, no planejamento e na implementação de políticas e programas para o desenvolvimento sustentável, que tem sido apontada como um elemento crucial para o avanço das três dimensões da sustentabilidade: econômica, social e ambiental.

Tenhamos todos um inspirado e feliz Dia Internacional da Mulher!

Anúncios