raissa rossiter

Na semana passada conheci uma mulher excepcional, a Sonia Maria da Silva. Quando ainda desempregada, com mais de 40 anos e um filho deficiente, ousou superar suas circunstâncias difíceis e empreender. Sonhou e realizou. Mas não foi um sonho voltado somente para sua própria vida. Isso por si só, é claro, já seria um grande desafio. Ela foi além e sonhou um sonho coletivo, de cidadania e transformação da comunidade onde vive, com respeito ao meio ambiente.

Conheci-a no 1º Fórum Evangelho e Responsabilidade Social, realizado entre os dias 18 e 20 de novembro, que reuniu especialistas cristãos, líderes comunitários e representantes de organizações sociais não governamentais para debater experiências e temas pertinentes à realidade do Distrito Federal. Enquanto em um painel do fórum eu abordava o comércio justo e a economia solidária, em parceria com a Antonieta Contini, que tratou de empreendedorismo social, lá estava, diante de nós, o exemplo de transformação da Sonia – na prática – com base em princípios de cooperação, autogestão, democracia, ação coletiva e preservação do meio ambiente.

Ela criou em 1998, no Riacho Fundo, Distrito Federal, a Cooperativa de Coleta Seletiva e Reciclagem 100 Dimensão que recolhe lixo em vários pontos da cidade, recicla e gera renda para cerca de 200 famílias, além de criar produtos diversificados. Hoje envolve cerca de 200 cooperados.

Mas a Sonia não quer parar por aí. Com a mesma atitude de esperança, engenhosidade, empreendedorismo e cidadania que fez surgir a Cooperativa 100 Dimensão, ela sonha implantar um projeto de educação ambiental. Pretende alcançar, em um eixo de 500 mil habitantes no Distrito Federal, pelo menos 20% da população com o projeto.

A questão da gestão dos resíduos sólidos se constitui em um grave problema no país. No Distrito Federal, são produzidas 2,5 mil toneladas de lixo residencial e comercial por dia. Apenas 35% dos resíduos são separados por coleta seletiva. O restante é despejado em aterros, principalmente no Lixão da Estrutural, que traz impactos negativos ao meio ambiente.

Apoiar empreendedores sociais e multiplicar experiências que estão acontecendo “na ponta”, como as da Sonia e de seus parceiros da Cooperativa 100 Dimensão, pode ser um caminho para vermos acontecer transformações necessárias e urgentes aqui no DF. Aprendi com a Sonia lições importantes sobre como o tripé da sustentabilidade (economicamente viável, socialmente justo e ambientalmente responsável) pode ser aplicado em um processo que tenha como protagonista a própria comunidade.

O caso da Cooperativa 100 Dimensão foi documentado em muitas reportagens e vídeos. Conheça mais pelos links: http://www.youtube.com/watch?v=Y4lRcyZ6uJU&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=V5A1Gw3v3_E

http://www.youtube.com/watch?v=O1q6rPwS6IA

http://www.youtube.com/watch?v=L9XDKBQXoWk&feature=related

 

Anúncios