marcelo lima costa

Visitei o Reino Unido há alguns dias atrás. Pude perceber os avanços que estão ocorrendo por toda parte, e em diversos níveis, em direção a uma economia mais verde, de baixo carbono.

O mote do baixo carbono está impregnado por toda parte. Está no London Eye (fotos), um dos cartões postais de Londres, assim como nas escolas, universidades, comunidades, empresas e instituições públicas.

marcelo lima costa

As cidades do Reino Unido estão reduzindo sua pegada de carbono. Londres, que sediará as Olimpíadas de 2012, está comprometida em transformar os jogos nos mais sustentáveis de toda a história, deixando um legado positivo para o país e o planeta. Há fortes razões econômicas para essa reorientação estratégica no país.

O Reino Unido vem ampliando sua liderança no mercado global de baixo carbono, com a oferta de produtos e serviços ambientais que vão da energia, ao transporte, passando pelo varejo, entretenimento, construção, tratamento de resíduos sólidos e tantos outros segmentos. Existe cálculo de que a indústria de baixo carbono deverá alcançar a cifra de 4,3 trilhões de Libras até 2015.

Uma organização sem fins lucrativos, The Carbon Trust, oferece orientação especializada para empresas e setor público na redução de emissões de carbono, redução de energia e na comercialização de tecnologias de baixo carbono. Empreendedores ganharam um novo serviço, o “Entrepreneurs Fast Track”, que busca estimular o surgimento de startups de base tecnológica, spinoffs de universidades, e o crescimento de pequenas empresas verdes e inovadoras, essenciais para uma economia em bases mais sustentáveis. http://www.carbontrust.co.uk/Pages/Default.aspx

E a base para uma sociedade diferente, mais consciente e sustentável, começa com a educação. Vejamos alguns exemplos. Existe no país um programa online, promovido pela empresa EDF Energy, chamado “Aprenda, Aja, Inspire”, que apoia professores com informações, vídeos, blogs e muitas outras ferramentas para a implantação de projetos de sustentabilidade em suas escolas. http://www.jointhepod.org/default.

No ensino superior, a Universidade de Bradford, no Norte da Inglaterra, onde tive o privilégio de fazer meu mestrado e doutorado, possui o primeiro campus sustentável da Europa e lidera em várias iniciativas como a Ecoversity, que visa envolver as pessoas e a comunidade para a introdução de atitudes e comportamentos mais sustentáveis em todas as atividades da instituição: http://www.brad.ac.uk/admin/ecoversity/what.php

O Brasil pode se tornar um ator muito mais relevante do que foi até agora nesse cenário global rumo a uma economia de baixo carbono. Aposto na educação e em investimentos públicos mais ousados como caminhos para uma transição mais rápida, pois o dever de casa já está sendo feito – de maneira muito aplicada e veloz – por outros países, como pude perceber nessa minha visita.

Anúncios