beatriz bajaluk bilik

Termina o ano de 2010 e com ele também se vai a primeira década do século 21.  As mudanças continuaram aceleradas no mundo e no Brasil. O que marcou nossas vidas nesse período? Muitas coisas, sem dúvida!

No início desta década assistimos o evento trágico do 11 de setembro nos Estados Unidos da América,  que ficará para sempre na memória da humanidade como um divisor de águas que revelou a vulnerabilidade da maior potência econômica do mundo. Um abalo irreparável na autossuficiência e poderio americano. As relações geopolíticas do planeta foram redefinidas a partir daí. O mundo passou a viver um “reality show” dramático onde o terrorismo e a intolerância se incrustaram de maneira irreversível na sociedade.

Nesta década, tivemos a eleição do primeiro presidente negro da história americana e da primeira mulher presidente no Brasil. A votação de 20 milhões de brasileiros em Marina Silva, como candidata a presidente nas eleições de 2010, demonstra que a sociedade brasileira já conta com uma parcela expressiva de gente disposta a refletir sobre valores mais transcendentes, sejam eles éticos, políticos ou religiosos. Todos esses são sinais fortes de mudanças…

Fomos surpreendidos por desastres climáticos e ambientais, no mundo e no Brasil, em sua grande maioria fruto da falta de cuidado do homem com o planeta. Os desastres climáticos dos últimos anos aqui no Brasil, por exemplo, que atingiram centenas de milhares de pessoas, só fizeram a poeira debaixo do tapete aparecer. Esses problemas revelaram a falta de políticas preventivas não só capazes de preservar o meio ambiente, mas também de responder aos problemas da urbanização sem planejamento das cidades. 

Nesta década experimentamos a sensação de que o “país do futuro” – um slogan desgastado que minha geração cansou de ouvir – havia finalmente se tornado presente. Ficamos menos desiguais, mais longevos e consolidamos nossa democracia, que já tem ares de gente grande.  Mas e a violência, o que dizer dela? E a corrupção? Penso que só pioraram e se sofisticaram nos últimos anos, deixando a população ainda mais perplexa.  Esta são áreas de grandes gargalos em que governos e sociedade precisam fazer uma parceria forte e criativa. O caso da desarticulação do crime e do tráfico no complexo do alemão, no Rio, representa, no entanto, um sinal de esperança e novas possibilidades que podem se multiplicar pelo Brasil afora. E quanto ao combate à corrupção na política? Vou comemorar sempre a aprovação da Lei da Ficha Limpa! Grande vitória da sociedade brasileira que transformou a sua indignação em mobilização cívica.

Quase no final da década, encaramos a crise financeira global e, mais uma vez, constatamos que a globalização é um fenômeno que nos afeta, em maior ou menor grau, tanto para o bem como para o mal. Felizmente, escapamos bem desse tsunami.

As perspectivas são promissoras, mas não nos enganemos: há muito trabalho, desafios e mais mudanças pela frente! Essas mudanças serão feitas por nós, por mim, por você, cada um em sua esfera e em seu contexto, mas com o forte desejo de continuar contruindo um país melhor, mais justo e sustentável para nossos filhos e netos.

Chegamos ao futuro. E agora? Que comecemos o novo ano e a nova década gratos pelo que conquistamos e com a energia, a esperança e a fé em Deus renovadas. Recebam meu desejo sincero de um feliz 2011!

Anúncios