getty images

Estudo da União Internacional das Telecomunicações (UIT) aponta que em 2010 dois bilhões de pessoas terão acesso à Internet, o que representa um terço da população global. Este número duplicou nos últimos cinco anos, mas ainda existem muitas desigualdades de acesso numa comparação entre países.

Enquanto 71% dos habitantes dos países industrializados têm acesso à rede mundial de computadores, nos países em desenvolvimento esse acesso está disponível para apenas 21,5% da população. Nos países ricos, 65% dos usuários acessam a rede da própria residência, porém apenas 13,5% nos países em desenvolvimento.

No Brasil, já somos quase 68 milhões de internautas (16+) com estimativa de chegarmos a quase 74 milhões até o final de 2010, com apoio da telefonia móvel, que alcança 99% da população, com tendência forte de crescimento do uso para acesso à Internet. Pesquisa IBOPE revela que mais da metade das pessoas com acesso à Internet nas regiões metropolitanas são das classes C, D e E!  A mídia digital se torna, portanto, uma das grandes mídias de massa do país: http://www.iabbrasil.org.br/arquivos/doc/Indicadores/Indicadores-de-Mercado-IAB-Brasil.pdf

Nesse cenário, o acesso à Internet se tornou uma questão fundamental para os pequenos negócios: para fazer a gestão da empresa, buscar novos conhecimentos, realizar negócios, estabelecer e manter relacionamentos com clientes, parceiros e fornecedores, obter serviços e informações governamentais, para, enfim, obter cidadania digital. Por isso considero que a inclusão digital seja um dos seis grandes desafios para o crescimento e a competitividade dos pequenos negócios.

Redes sociais, fóruns, plataformas virtuais para geração de negócios e muitas outras ferramentas devem ser consideradas quando a questão é empreender nos dias atuais. Até o processo de inovação das empresas, que se desdobra em novos produtos e serviços, antes feito “intramuros”, está se tornando cada vez mais aberto e se passa na web, em estreita parceria com o cliente.

Anúncios