getty images
 
 
 
 
 

 

A lei aprovada no ano passado pelo Congresso Nacional, que obriga os partidos políticos a terem em seu quorum a cota mínima de 30% de mulheres, provocou uma corrida para a filiação e candidaturas femininas desde 2009. Nestas eleições, as mulheres formam mais de 21% dos 21.672 pedidos de registro de candidaturas na Justiça Eleitoral.

No entanto, muitas ainda entram apenas para figurar na lista. É o que mostrou uma matéria do Correio Braziliense, que sugere que para preencher a cota de 30% exigida por lei, os partidos ainda recorrem a “candidatas laranjas” para preencher as nominatas eleitorais, apenas para atender a legislação eleitoral.

Cerca de 52% do eleitorado brasileiro é composto por mulheres. Espero que prestem bastante atenção aos perfis e às propostas das candidatas aos cargos majoritários e proporcionais. Precisamos ampliar nossos espaços de representação política, mas com candidatas sérias, que sejam escolhidas com base em sua trajetória, currículo e propostas. Espero que opções não faltem.

Anúncios