divulgação

Bem que minha filha falou que eu ia assistir o filme e postar algum comentário em meu blog…Dito e feito! Cá estou eu, me “rendendo” a Avatar, o filme, que apesar de alguns clichês hollywoodianos, impressiona pela beleza visual, pelos efeitos especiais e, acima de tudo, pela temática ecológica e pacifista. Como na poesia de Manuel Bandeira, deu vontade de “ir embora pra Pandora”, esse mundo simbiótico onde a harmonia entre a natureza, o planeta e seus habitantes nativos é plena. Onde o conflito maniqueísta entre os nativos bons e os humanos maus é solucionado na batalha entre as duas civilizações. Os humanos são mandados de volta para casa com as mãos abanando, sem o mineral que causou tanta cobiça e destruição ao planeta explorado. Alguns buscam construir paralelos entre “Pandora” e o Brasil. Na vida real, porém, apesar de sermos um país que possui ativos ecológicos tão valiosos, ainda estamos bem longe do estágio alcançado pela civilização do planeta imaginário do filme de James Cameron.  A Amazônia brasileira, por exemplo, importante para o país e para todo o planeta, continua sendo desmatada e a agricultura, base econômica da região, exercida de forma predatória. Mas essa não é uma questão somente dos povos da região, tem que ser uma causa de todos nós brasileiros. Como os povos azuis desse “paraíso” mágico, nascido da tecnologia digital, precisamos compreender a conexão entre todas as coisas. Mais ainda, precisamos cuidar de forma responsável de nosso capital natural, como parte da equação para contruir o futuro de forma sustentável.

Anúncios