Leonardo Bello

Sobre a senadora Marina Silva, possível candidata à Presidência em 2010, o Diogo Mainardi escreveu em sua coluna da Veja (edição 2145 – ano 42 – no. 52, de 30/12/2009): “Cruzei com ela recentemente e confirmo: ela levita.”  Não é isso que evidencia a entrevista “Utopia com Pé no Chão”, concedida por ela ao site Cristianismo Hoje. Recomendo fortemente a sua leitura!

Marina, como sempre paradoxal, mostra que é possível aliar delicadeza e força, espiritualidade e engajamento político.  Sem ingenuidade ou uso banal de chavões pseudoambientalistas ou feministas, Marina demonstra que sabe desarmar com inteligência e habilidade as armadilhas fáceis e percepções estigmatizadas que muitas vezes são colocadas a respeito dela.

Marina raramente fala de sua vida cristã, evitando o uso utilitarista da religião. Mas, sem dupla personalidade, demonstra como suas bandeiras de ética, sustentabilidade e respeito à diversidade se conciliam com a sua espiritualidade. Vale a pena conferir: http://cristianismohoje.com.br/ch/utopia-com-pe-no-chao/.

Alguns trechos da entrevista:

“As pessoas querem que você diga que a sua fé não tem nenhuma conseqüência. Obviamente tem.”

“Parece uma incoerência quando a gente diz que ama o Criador e não respeita a criação.”

“Qualquer governo terá que integrar as duas coisas: os acúmulos positivos herdados da economia do século 20 e as possibilidades inéditas que começam a surgir da economia verde do século 21.”

“Tivemos aí a contribuição do sociólogo e a do operário. Mas a história não para por aí, e ainda bem que não. E eu não tenho dúvida de que o grande passo a ser dado na história do Brasil é a nova visão de modelo, saindo da visão de desenvolvimento predatório para o uso sustentável.”

Anúncios